18 abr 2017

Usiminas tem lucro líquido de R$ 121 milhões

Companhia volta a registrar um resultado positivo após dez trimestres consecutivos de prejuízo

A Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais (Usiminas) confirmou ontem ao mercado que apurou lucro líquido de R$ 121 milhões no primeiro trimestre deste ano, revertendo o prejuízo registrado seguidamente por dez trimestres. A notícia também alavancou os títulos da companhia e a ação preferencial (USIM5) fechou o dia com alta de 7,84% na BM&FBovespa.

A Usiminas também divulgou que o Ebtida (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 366 milhões de janeiro a março, o que indica crescimento tanto em relação ao trimestre anterior (56,4%), quanto na comparação com os mesmos meses de 2016 (603,8%).

O Ebtida é considerado importante por analistas porque é um índice financeiro que representa quanto a empresa gera de recursos através de suas operações, sem contar impostos e outros efeitos financeiros. Além disso, é um indicador muito utilizado na análise dos resultados das empresas porque, por eliminar os efeitos dos financiamentos e decisões contábeis, mede com mais precisão a produtividade e a eficiência do negócio.

A siderúrgica explicou que os números relativos aos resultados do primeiro trimestre não são definitivos porque ainda estão sujeitos à revisão de auditores externos. A divulgação completa do balanço financeiro e operacional da companhia acontecerá na próxima quinta-feira.

Porém, se considerados os números apresentados ontem pela companhia, o lucro do primeiro trimestre (R$ 121 milhões) contrasta com o prejuízo de R$ 195 milhões no trimestre anterior e também com o resultado na comparação com os mesmos meses de 2016, quando a siderúrgica também reportou prejuízo de R$ 151 milhões.

Os dados sobre o resultado da Usiminas vazaram na Coluna do Broad, do jornal Estado de São Paulo, de domingo. Ontem, a siderúrgica confirmou os valores e com a notícia as ações da companhia dispararam na bolsa de São Paulo. A ações preferenciais (USIM5) registraram alta de 7,84% no dia e fecharam o período negociadas a R$ 3,99, mas bateram no teto de R$ 4,10.

Ajustes operacionais – Em 2016, depois de uma série de ajustes operacionais ao longo dos últimos anos, a Usiminas apurou um prejuízo líquido de R$576,8 milhões, desempenho bem melhor do que o resultado negativo de R$3,7 bilhões apurado em 2015. A melhora, conforme informou a companhia à época, estava ligada ao melhor resultado operacional das unidades de negócio de siderurgia, mineração e transformação do aço.

As vendas consolidadas de aço no ano passado somaram 3,6 milhões de toneladas, 26% a menos em relação às de 2015 (4,915 milhões de toneladas). O mercado interno respondeu por 87% do total, com a comercialização de 3,2 milhões de toneladas contra 3,6 milhões de toneladas, na mesma comparação, queda de 12%.

Já as exportações representaram 13% das vendas de aço da Usiminas no ano passado, chegando a 477 mil toneladas no total. Em comparação com os embarques da companhia ao exterior um exercício antes, que somaram 1,3 milhão de toneladas, o recuo foi de 64%.

Fonte: www.diariodocomercio.com.br

Foto Divulgação

 

Comentários

comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *