05 maio 2017

Sérgio Leite mostra ações para Usiminas retomar o crescimento em meio à crise

No mês de março, a empresa divulgou resultados positivos das atividades do 1º trimestre. O lucro líquido do período foi de R$ 108 milhões, depois de 11 meses de registros negativos

Como parte da agenda programada para a semana em Ipatinga, o presidente da Usiminas, Sérgio Leite, realizou encontro com a imprensa local para informar sobre as ações planejadas para este ano e perspectivas de crescimento. O evento foi realizado no Escritório Central da Usiminas, na tarde desta quinta-feira.

No mês de março, a empresa divulgou resultados positivos das atividades do 1º trimestre. O lucro líquido do período foi de R$ 108 milhões, depois de 11 meses de registros negativos. Com o retorno do desenvolvimento industrial, Sérgio Leite anunciou na coletiva de imprensa que foi acertado, junto ao prefeito de Ipatinga, Sebastião Quintão (PMDB) a quitação integral do IPTU de 2017, o valor total chega a R$ 27 milhões.

“Em reunião com o prefeito Quintão, nós discutimos diversos assuntos e mantivemos a parceria efetiva entre Usiminas e Prefeitura. Quintão nos informou sobre a situação do erário público. Aproveitamos para comunicar o pagamento integral do IPTU, em um momento que sabemos que a Prefeitura de Ipatinga precisa de recursos para poder prestar o melhor serviço possível ao cidadão de Ipatinga”, destaca Leite.

Sérgio esteve acompanhado no encontro pelo diretor corporativo de RH da Usiminas, Luís Márcio Araújo e líder do Grupo dos 10, César Bueno

Outro ponto de destaque da coletiva foi o anúncio da possível reativação do Alto-Forno 1 da unidade operacional de Ipatinga. A decisão será apreciada pelo Conselho da Usiminas, na próxima quinta-feira (11). “Torcemos para que a decisão seja favorável à reativação do Alto-Forno 1. Com ele em operação mais empregos e renda serão gerados”, salienta o dirigente.

Na visão do presidente e da diretoria da siderúrgica, a recessão econômica chegou ao momento mais crítico e agora a tendência é retomar uma trajetória ascendente. “Chegamos ao fundo do poço, ano passado fechamos com uma queda do PIB de 3,5%, isso é extremamente pesado para um país como o nosso, que deveria crescer 3% ao ano. Agora, estamos em uma nova perspectiva para a Usiminas. A economia brasileira irá crescer, neste ano de 2017, ainda de maneira muito lenta. De acordo com o Boletim Focus do Banco Central o crescimento será de 0,48%, pequeno, mas depois de três anos iremos crescer economicamente”, pontua.

Sérgio Leite informou que o consumo de aços planos em 2016 no Brasil foi de 9,250 milhões de toneladas. “O consumo de aço plano reduziu 13% no ano passado, em relação a 2015. Com esse número nós nos remetemos a 15 anos atrás, onde tínhamos este mesmo nível de consumo. No ano de 2013, o consumo do produto foi de 14,5 milhões de toneladas. A previsão para atingirmos este patamar novamente é em 2025, está muito longe, mas é a realidade”, salienta.

Divulgada no fim de 2016, pelo Instituto Aço Brasil, a estimativa é que este ano o consumo de aço tenha um crescimento de 3,5% em todo o país, o que acrescentaria uma média de 250 toneladas na produção de aço em relação ao ano passado.

Mesmo com o crescimento lento, Sérgio se mostrou confiante e informou uma série de ações tomadas para a manutenção da Usiminas e retorno do desenvolvimento da empresa. “Estabelecemos um plano de recuperação da empresa de 3 a 4 anos, o primeiro ano já foi e conseguimos atingir a única meta estabelecida, a de geração de R$100 milhões de EBITDA ao mês. Em um período acumulado de abril de 2016 até março de 2017 um resultado de EBITDA superior a R$1,100 bilhão, isso é significativo e representa o esforço que a equipe Usiminas fez para a inversão dos resultados negativos”, informa o CEO da Usiminas.

Débitos

O presidente declarou na coletiva que a Usiminas possui uma dívida avaliada em R$ 6,700 bilhões, que foi renegociada e terá carência de 3 anos com prazo para pagamento em 7 anos. Sérgio Leite avalia que os primeiros resultados positivos são gratificantes, mas insuficientes para que, no futuro, a empresa possa amortizar a pendência financeira. “Temos um trabalho muito grande a ser realizado, temos plena confiança na equipe Usiminas em todas as unidades operacionais e temos certeza que o nosso plano é amplamente viável”, pondera.

Recuperação

Para garantir a melhoria dos resultados e um crescimento suficiente para o pagamento das dívidas a partir de 2019, o presidente ressaltou que, dentro do plano de recuperação, há cinco ações para a melhor produtividade. “A primeira e mais importante delas é sobre a segurança, queremos a meta de zero acidente; a segunda é referente à redução de custo; a terceira meta é o aumento de receita; a quarta especificamente sobre a EBITDA, que é o resultado que mostra a consolidação do esforço e iremos apresentar uma meta de foco no cliente”, informa.

Sérgio Leite finalizou a entrevista com a afirmativa que a busca pelo desenvolvimento da indústria passa pelo foco na geração de resultados e na gestão de pessoas. “Para maior produtividade, temos que ter o foco no reconhecimento das pessoas, engajamento da equipe, na motivação e prática da meritocracia”, concluiu o presidente da Usiminas. Sérgio Leite ainda cumpre agenda nesta sexta-feira (05) para fechar o ciclo de compromissos em Ipatinga.

Fonte: Jornal Diário do Aço

 

Comentários

comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *